Compositora araraquarense canta questões sobre mulheres negras

“O que mais me inspira é o fato de eu me olhar como mulher”, afirma Suelen Cristina dos Santos, a Sue. A araraquarense é cantora, compositora e estudante de Filosofia da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), em Minas Gerais. Suas letras são subjetivas e retratam a luta dos negros, principalmente das mulheres, segundo entrevista dada ao programa “Sou Arte” da TV Câmara (canal 17 da Net). Confira o bate-papo com a artista local:

Como e quando você começou no meio artístico? Comecei em 2014. Sempre cantei na igreja, mas assumi o compromisso na época do cursinho, expondo com varal de poesias no “Batalha na Fonte”.

O que você tem feito ultimamente? Estou me realizando com a minha banda que chama “Rasante Livre”. Curto muito cantar. Quando estou com o microfone… ‘véio’, é algo que me realiza e me faz Suelen.

Qual é o seu estilo? Eu tive um ânimo por conta do reggae, mas também sou rastafári e do hip hop que me molda todos os dias. Todo dia eu acordo com uma representatividade de mulher preta na cabeça. Gosto de estar sempre com o pessoal da rua trocando uma ideia.

Qual é sua fonte de inspiração? O que mais me inspira é o fato de eu me olhar como mulher. Como mulher negra, sempre fui muito sexualizada e senti a necessidade de trabalhar isso em mim. Falo muito, nas minhas composições, sobre como eu gosto do amor, como eu me conheço e sobre identidade. Eu sou subjetividade.

Divulgação

Quais são suas influências? Influências nacionais, eu curto muito a Tássia Reis, que tem um flow e a melodia que eu admiro. Também tem a Brisa Flow – ela fala sobre maternidade. São ‘minas’ que me impulsionam, porque não quero ficar no pejorativo jamais. Internacional, Nina Simone, Erykah Badu com seus turbantes…

Faz algo além da música? Eu estudo Filosofia em Ouro Preto e moro em Mariana, o que encaixou totalmente com meu ‘trampo’ e questões existenciais minhas. É uma cidade com muita arte, cultura e a maior parte da população é negra. Tem muita representatividade mais antiga lá.

Você acha importante o incentivo do poder público para os artistas? Eu sou mais a favor do ‘trampo’ autônomo. Mas, é claro, precisamos estudar e entender a burocracia para ocuparmos os locais públicos.

O que é preciso para viver de arte? Para viver de arte, é preciso aceitação das pessoas.

O que você espera para o futuro? Eu espero sobreviver. É tudo que a gente precisa. Existência, resistência, ‘tá’ com uma alimentação, um teto… Espero que com a minha música eu consiga me identificar e identificar as pessoas, que elas vejam representação e motivação para sobreviver também.

Anúncios

Lara Maçola, representante de Araraquara no Miss Turismo

Prestes a completar 15 anos, a jovem araraquarense Lara Maçola irá representar a cidade no concurso estadual Mister & Miss São Paulo Turismo que acontecerá no final de abril, dia 28, no Teatro Municipal de Paulínia, que reunirá candidatas de todo o Estado.  Entre os concursos que já venceu, a jovem é a atual Miss Oficial Juvenil Araraquara e, neste ano, foi eleita Miss Queen Regional.

Foto: Jonas Bezerra

Morena com 1,74m de altura, Lara sempre teve como foco o sonho de estar nas principais passarelas do Brasil e do mundo. Para isso ela vem se preparando com os principais nomes do meio da região. Estudante da EMEF “Rafael de Medina”, ela participou recentemente da seletiva de modelos e atores, faz o curso de “Oficina de Atores” além de aulas de dança como balé, jazz e sapateado.

É com esta determinação e o apoio dos pais, Claudiana e Sérgio Maçola, que ela espera conquistar o concurso Miss Turismo. “Estou me preparando muito para trazer o título, mas caso não aconteça, estarei muito feliz por ter participado, de poder conhecer pessoas novas, de aprender mais. Claro que receber um “não” não é uma coisa que todos gostariam de ouvir, mas é possível aprender muito com ele. Desistir não é minha opção, irei persistir até conquistar”, salienta a jovem modelo.

Ensaio fotográfico

Recentemente, a jovem e promissora modelo realizou um ensaio temático para o fotográfico Jonas Bezerra (www.jonasbezerra.com). Com maquiagem/cabelo de Cris Nascimento e figurino/acessórios de Doce Morena, o local do set foi um dos locais mais famosos de Araraquara, a Rua Voluntários da Pátria, a conhecida Rua 5.

Ela por ela:

Time: Corinthians

Comida: Salmão grelhado.

Hobby: Dançar, atuar, desfilar e ajudar o próximo

Signo: Áries

Um lugar: palco

Um sonho: Alcançar todos meus objetivos

Cidade: Araraquara – SP

Esporte: Muay Thai

Exemplo de vida: Meus pais

Um momento: “Quando ouvi o meu nome como a Miss Araraquara Juvenil 2017, uma emoção inexplicável”.

Uma frase: O que você pensa, você atrai.

Uma personalidade: Gisele Bündchen. “Ela sempre foi batalhadora, determinada, tem muita atitude, nunca desistiu no primeiro “não” que recebeu e por isso alcançou tudo que desejava. Me identifico com ela”.

VEJA ENSAIO COMPLETO

Hoje sai o campeão da Copa Paulista

A Locomotiva decide amanhã, a partir das 18h, na Fonte Luminosa, o título da Copa Paulista 2017. Em mais um confronto contra a Inter de Limeira (foram três na competição), a AFE espera superar o adversário e voltar a figurar no calendário nacional.

Foto: Beto Boschiero/AFE

Para o confronto, PC de Oliveira não contará com o lateral Alisson, suspenso por receber o terceiro cartão amarelo no jogo de ida, em Limeira. Como opção para o lugar do camisa 2, o treinador conta com Luís Henrique e Raniele, zagueiro, mas que já atuou na posição. Outra alternativa para o setor é Daniel Vançan. Lateral-esquerdo de origem, o jogador também já atuou pela direita.

A expectativa é de um grande público no sábado. Cerca de 1.000 ingressos foram vendidos antecipadamente, e 6.000 foram trocados por garrafas pet pelo movimento Futebol Sustentável em menos de 4 horas, na quarta-feira.

Manú Cavalaro vence Festival de Música Autoral

Com a apresentação a cargo da artista e cantora Sol, nome artístico de Marcela Barbosa, na noite deste sábado (28) aconteceu a final do 1º Festival de Música Autoral de Araraquara. Com início às 20h, o evento aconteceu no Teatro de Arena do Melhado.

Depois de quase três horas de evento, a jovem araraquarense Manu Cavalaro conquistou o primeiro lugar do festival, com a música “Que Deus Me Deu”, de sua própria autoria.

Na sequência, o sãocarlense Marcos Carreri conquistou o segundo lugar com a música de sua própria autoria “Para Outro Lugar”. E, encerrando a lista de vencedores, o grupo piracicabano Cantoá, conquistou o terceiro lugar com a música “Inês-Gota Fonte”, de autoria de Ramon Rocha Saciloto.

Com a realização do FEMA, Araraquara confirma ser uma das cidades musicais do Estado. O alto nível dos músicos finalistas confirma que as futuras edições do festival serão um dos grandes eventos do gênero. Nesta primeira edição foram 123 músicas inscritas. Em seguida foram selecionadas 30 músicas semifinalistas, culminando com as 10 finalistas.

Ao todo, foram R$ 10 mil em premiação distribuídos aos três primeiros classificados, sendo: R$ 5 mil (1º lugar), R$ 3 mil (2º lugar) e R$ 2 mil (3º lugar).

Enquanto somavam-se as notas do júri para anunciar os vencedores da grande noite musical, o evento contou ainda com a apresentação do grupo araraquarense, Os Seresteiros.

Foram finalistas do Festival:

Caboclo da Cidade”, interpretada por Velha Palhoça de autoria de Diego Lima (São Carlos);

Dona Pombinha”, interpretado por Rodrigo Zanc, coautor com Isaias Andrade (São Carlos);

Flor de Alecrim”, interpretada por Maria Cláudia e Grupo Bora Samba, de autoria de Marcelo Vidal – Teroca (Araraquara);

O Tempo”, interpretada por Lílian Jardim & Banda, de autoria de Clenira Maria Benicasa (Araraquara);

Uma Valsa Para Você”, interpretada por Vinícius Maganha, coautor com Cleber Rangel (Araraquara);

Valsinha Caipira Para Juliana”, interpretada e composta por Teco Seade (Campinas);

E, “Valsinha”, interpretada e composta por Ticha (Araraquara).

VISITE GALERIA DE FOTOS DE JONAS BEZERRA: 

História de Bazani em exposição fotográfica

Após uma década sem o principal ídolo da Ferroviária, no próximo sábado (28), acontecerá a abertura da exposição fotográfica “Dez anos de adeus ao ídolo”, que recordará a carreira do ex-jogador e ex-treinador Olivério Bazani Filho.

A exposição será lançada às 9h, no Museu do Futebol e Esportes, que fica na Arena da Fonte Luminosa, e tem organização das secretarias de Cultura, Esportes e Lazer, Comunicação e do próprio museu. São aguardadas as presenças de familiares do ídolo e de amantes do esporte.

Arquivo: Museu da Ferroviária

Bazani morreu em 13 de outubro de 2007, aos 72 anos de idade, e marcou história em Araraquara. O atleta atuou pela Ferroviária em 758 partidas, marcou 244 gols, conquistou 394 vitórias e os principais títulos da história do clube. Números que jamais foram alcançados.

O repórter-fotográfico Tetê Viviani, um dos colaboradores da exposição, explica que a mostra irá enfocar toda a trajetória de Bazani, que chegou a Araraquara em 1954, foi jogador, técnico das categorias de base e técnico do time profissional.

“É o maior ídolo da Ferroviária. Bazani representa o que Pelé é para o Santos, Ademir da Guia é para o Palmeiras, Garrincha é para o Botafogo. Ele tem que estar inserido na programação dos 200 anos de Araraquara, já que morou e fez história aqui por mais de 50 anos”, diz Tetê Viviani.

Biografia

Bazani foi campeão com a Ferroviária nos acessos de 1955 e 1966, no Tricampeonato do Interior (1967, 1968 e 1969) e na Taça dos Invictos (1970). Mesmo depois de encerrar a brilhante carreira dentro dos gramados, ele ainda ajudou a Locomotiva no comando técnico, levando-a à semifinal do Paulista de 1985.

O busto de Bazani no principal acesso dos torcedores à Arena da Fonte Luminosa — local em que ele trabalhou no período de 1954 a 1963 e, após retornar do Corinthians, de 1966 a 2007 — retrata o único homenageado com estátua em 67 anos de fundação da Associação Ferroviária de Esportes.

Nascido em Mirassol, no dia 3 de junho de 1935, Bazani tornou-se Cidadão Araraquarense em 1998, por iniciativa do esportista Paschoal Gonçalves da Rocha e do então vereador Mário Hokama.

Formado em Odontologia pela Unesp de Araraquara, o ícone grená manteve consultório na Rua 9 de Julho, entre as avenidas Dom Pedro II e Brasil, e, depois, na Galeria Cury.

Bazani ainda colaborou como cirurgião-dentista no Hospital Cairbar Schutel prestando serviços das 6h às 8h30, antes dos treinos da Ferroviária. Também foi voluntário no Centro Espírita Obreiros do Bem e na Creche Meimei.

Ferroviária e Santa Clara iniciam parceria internacional

Na manhã desta terça-feira (10), a Ferroviária concedeu um café da manhã à imprensa para oficializar a parceria da agremiação com o clube lusitano, Santa Clara, que disputa a 2ª Liga Portuguesa.

O encontro com a imprensa aconteceu às 9h. Na mesa, os dirigentes grenás Carlos Salmazo, presidente, e Pedro Martins, CEO, e o diretor do clube português Diogo Boa Alma.

Salmazo ressaltou a identificação do projeto do Santa Clara com a Ferroviária hoje. “Dentro de várias equipes que analisamos, o projeto do Santa Clara é o que mais se aproxima com o nosso. É uma parceria não onerosa, de colaboração mútua de gestão de futebol… de intercâmbios de atletas, de conhecimento, de informações técnicas e de informações práticas do futebol. É um passo importante que a Ferroviária dá”.

Já, Pedro Martins, afirma que “é uma parceria importante para Ferroviária e a idéia é que ampliemos o intercâmbio entre jogadores, troca de informações sobre o mercado português e brasileiro de jogadores e como os dois clubes possam crescer, ampliar o horizontes. Pensamos grande. São dois clubes que estão crescendo e almejam grandes conquistas”, destaca Pedro Martins.

De acordo com Diogo Boa Alma, “Santa Clara acredita muita nesta parceria também. É uma honra que a Ferroviária tenha escolhido o clube como parceiro em Portugal. Acreditamos que os dois clubes têm muito em comum e que querem se reerguer. Temos ambições grandes e apostamos em jovens talentos. Portugal é o mercado que tem mais jogadores brasileiros fora do Brasil. É um mercado que não tem restrição – além do mesmo clima, a mesma língua, a gastronomia… É uma parceria que terá sucesso”.

CD Santa Clara

Localizada em Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Açores, o clube foi fundado em 1927 e o seu primeiro presidente foi o Capitão Eduardo dos Reis Rebelo. O atual presidente é Mário Batista. O seu primeiro jogo oficial aconteceu em 20/11/1927.

O Estádio de São Miguel tem capacidade para 12.500 pessoas. Os maiores feitos do clube foram: a conquista do Campeonato Nacional da 2ª Liga em 2000/2001; do Campeonato Nacional da 2ª Divisão em 1997/1998; e as suas 3 presenças no Campeonato Nacional da 1ª Divisão.

WordPress.com.

Acima ↑